CONAR: Pode não parecer, mas ele é importantíssimo para a publicidade

02 de fevereiro de 2016

Se você está por dentro de assuntos sobre publicidade e marketing, com certeza já ouviu falar sobre o CONAR – Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária. Há alguns anos era comum ver algumas propagandas polêmicas, que transmitiam informações distorcidas das coisas como: a marca de chocolates que instigava a atração sexual das crianças (hiperlink: https://youtu.be/CyE6aWsmUF0) ou a propaganda de sandálias que mostrava crianças reproduzindo expressões em um tom, digamos que…um pouco “estranho” (hiperlink https://youtu.be/kgPX8lknsnw).

Hoje esse tipo de comercial não passaria na TV nem por decreto. Muito menos seria veiculado na internet ou qualquer outra mídia. Isso porque o CONAR barraria devido ao conteúdo  de exploração e incentivo à sexualidade infantil. Basicamente, esse é o papel deste órgão – Impedir que a publicidade enganosa ou abusiva cause constrangimento ao consumidor ou às empresas.

Criada por publicitários e profissionais da comunicação, o CONAR é uma organização não-governamental que visa promover a liberdade de expressão publicitária e defender as prerrogativas constitucionais da propaganda comercial. Ou seja, enxergar os dois lados da moeda, tanto o da marca, quanto o do consumidor.

Um dos assuntos do momento em que o CONAR se destaca é a campanha do Itaú intitulada “Itaú Digitaú”, na qual o banco apresenta sua nova assinatura para plataformas digitais – o “Digitaú” com “u”. O órgão abriu um processo para julgar a campanha após receber reclamações de consumidores que viram no trocadilho um “risco” para as crianças.

Não tem como negar que a campanha, de certa forma, é muito boa e basta você ouvir 2 vezes o jingle para ele não sair mais da sua cabeça.

Sabendo agora para que serve o CONAR, nós queremos saber: você acha que o órgão está sendo muito rude ao acatar as denúncias contra essa campanha?

Responda em nosso Facebook!