A era do jornal digital já é uma realidade?

01 de março de 2016

É possível que um dos temas mais questionados pelos profissionais da comunicação neste ano será: “A mídia online realmente vai derrubar o impresso?”. Isto porque, no início deste mês, o Instituto Verificador de Comunicação (IVC), divulgou um estudo mostrando que a circulação digital paga de jornais subiu 27% no ano passado (comparado a 2014) enquanto a impressa caiu 13%. As pessoas definitivamente estão trocando o jornalão com cheiro de tinta pelo jornal digital, mas o que isso significa?

 

Há alguns anos essa previsão parecia utópica, ainda mais com a chegada dos jornais gratuitos distribuídos nas vias das cidades como o Metro, Destak, entre outros, mas hoje é possível enxergar uma ameaça real na plataforma digital. Na Folha de S.Paulo, por exemplo, circularam em média 146 mil exemplares digitais pagos diariamente durante todo o ano de 2015, enquanto 189 mil impressos circularam no mesmo período. Do Correio Braziliense, apenas 21mil exemplares separam o impresso do digital, que aumentou 76,5% em 2015 em comparação com o ano anterior. No jornalEstado de Minas a diferença é ainda menor: 400 exemplares entre os dois tipos de circulação, com crescimento de 69,4% em 2015.

 

Com estes dados fica impossível não admitir que a “Era do Digital” está cada vez mais próxima – se já não chegou. Resta saber se esse crescimento será tão impactante ao ponto de extinguir os impressos das ruas.

 

O mercado de anunciantes que deve se atentar ao processo de mudança e preparar novidadesainda mais impactantes para emplacar seus produtos neste tipo de mídia. A verdade é uma só: quem ditará a regra e decidirá se o digital irá extinguir o impresso será o público consumidor.