2016 chegou e as pessoas já sabem o que esperam para este ano

13 de janeiro de 2016

No início de um novo ano sempre aparecem as famosas listas “dos mais” ou “menos” do ano passado. Aproveitamos a deixa, abrimos espaço para a lista que o ConsumerLab, área da Ericsson responsável por estudar o comportamento dos usuários, divulgou sobre as tendências da tecnologia para 2016. A empresa entrevistou mais de 1 bilhão de pessoas em 24 países e alcançou resultados que podem ajudar muito qualquer planejamento estratégico de marcas.

Pessoas mais conectadas para benefício comum – A cada quatro pessoas entrevistadas, cinco responderam que se sentem felizes e se beneficiam à medida que outras pessoas se conectam à internet e compartilham suas experiências, ideias e projetos. No Brasil, 51% dos usuários já participam de ações de economia colaborativa na web.

Mais tecnologia no dia a dia – A pessoas enxergam a necessidade de tecnologia em funções do dia a dia com o objetivo de trazer mais praticidade, como assistir a esportes e fazer chamadas em vídeo com mais eficácia. 57% dos paulistanos responderam que adorariam imprimir sua própria comida no futuro.

Informação/Crítica colaborativa – Os entrevistados admitem que têm o hábito de compartilhar informações online e acreditam que isso aumenta a sua influência na sociedade em que vivem. 51% dos entrevistados brasileiros pensam que denunciar uma empresa com comportamento inadequado nas redes sociais tem mais impacto que denunciá-las às autoridades responsáveis.

Tecnologia a serviço do estado – As pessoas entendem que as redes sociais podem se tornar a principal maneira para acionar serviços de emergência. 74% dos entrevistados brasileiros usariam algum app para informar desastres ou ocorrências.

Transporte de mãos dadas com tecnologia – As pessoas que participaram da pesquisa esperam que os transportes públicos sejam mais conectados e querem tornar o tempo que ficam parados no trânsito mais produtivo. 71% dos brasileiros passam mais tempo no trânsito do que em atividades sociais.

Não dá para negar que as pessoas estão cada vez mais conectadas e atentas à tecnologia. Cabem às empresas e marcas oferecerem inovações e apostar em ideias revolucionárias para atrair cada vez mais o seu público, pois mercado existe.